GEA apresenta a prefeitos políticas públicas voltadas para a juventude

Nesta quarta-feira, 30, políticas públicas voltadas para a juventude promovidas pelo Governo do Estado do Amapá (GEA) e governo federal foram discutidas em um encontro que reuniu prefeitos dos municípios amapaenses e seus respectivos gestores de Assistência Social e Juventude. Na ocasião, discutiu-se sobre a implantação dos Conselhos Municipais de Juventude, além da apresentação do Programa Amapá Jovem e apresentação dos programas federais Estação Juventude e ID Jovem. Esteve presente no evento, também, a representante da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), Cíntia Soares.

Os gestores tiveram a possibilidade de obter informações sobre a retomada de um dos principais programas do Estado – o Amapá Jovem – que terá o decreto de regulamentação assinado pelo governador Waldez Góes nesta quinta-feira, 31. O objetivo do programa é proporcionar maior qualidade de vida a população de 15 a 29 anos por meio da intensificação de políticas públicas voltadas para as áreas da educação, saúde, empreendedorismo e outros setores. A previsão é de que o Amapá jovem atenda cerca de cinco mil pessoas em todos os municípios do Estado ainda no segundo semestre de 2017.  

Outro assunto discutido durante o encontro foi a implantação dos conselhos municipais da juventude, a serem estabelecidos. “Eles são estratégicos no sentido da representatividade dos jovens, mas também como órgão fiscalizador do acompanhamento e composição de políticas públicas para o Executivo municipal”, ressaltou a secretária, acrescentando que o Conselho Estadual de Juventude do Amapá foi aprovado nesta quarta-feira, 30, pela Assembleia Legislativa do Amapá (Alap). A medida pode ser um estímulo para o estabelecimento do mecanismo nos municípios.

O prefeito de Santana, Ofirney Sadala, foi um dos participantes e destacou a importância de obter maiores informações sobre as políticas públicas voltadas para a população de 15 a 29 anos. “Estas ações dão oportunidades aos jovens e são importantes para incentivá-los principalmente em momentos de instabilidade econômica do país”, frisou.

O prefeito do município de Amapá, Carlos Sampaio, reforçou que as políticas públicas impulsionam especialmente o empreendedorismo na juventude. “Muitos dos nossos jovens não têm a oportunidade de trabalhar ou fazer um curso profissionalizante. Então acredito que as medidas apresentadas neste encontro representam uma forma direta de beneficiar esse público”, afirmou.

A coordenadora de Políticas Públicas para a Juventude da Prefeitura de Pracuúba participou do evento e destacou que a palestra foi uma oportunidade de aprofundar seus conhecimentos sobre as políticas públicas que podem beneficiar os jovens de seu município. Ela avaliou que o Amapá Jovem trará um retorno positivo a juventude do interior.

“Gostei muito de ouvir sobre a proposta e tenho certeza que ela vai ser muito interessante para a nossa população por trazer oportunidades aos jovens. Isso é importante para evitar que eles se envolvam com drogas e criminalidade”, pontuou.

Programas federais

Durante o encontro, participantes foram apresentados a Carteira Identidade Jovem, documento que possibilita acesso aos benefícios de meia-entrada aos jovens de 15 a 29 anos em eventos artísticos-culturais e esportivos, bem como a vagas gratuitas ou com desconto no transporte coletivo interestadual.

De acordo com a Sejuv, no Amapá há 81.741 jovens aptos a participarem do programa, a maioria concentrada nos municípios de Macapá, Santana e Laranjal do Jari.  É possível efetuar cadastro no ID Jovem, como a iniciativa é conhecida, por meio do site da Caixa Econômica Federal (CEF), do aplicativo ID Jovem e no Super Fácil do bairro Beirol, zona sul de Macapá, que conta com um espaço destinado à emissão do ID Jovem e de outros serviços voltados a esse público. 

Os prefeitos e gestores tiveram a possibilidade de sanar dúvidas sobre as regras do Cadastro Único (CadÚnico), mecanismo criado pela União que reúne dados dos cidadãos e é utilizado pelo governo federal, pelos Estados e pelos municípios para implementação de políticas públicas voltadas para famílias de baixa renda. Devem se cadastrar no programa famílias com renda de até meio salário mínimo por pessoa ou que ganham até três salários mínimos de renda mensal total.

Houve ainda a apresentação do Estação Juventude, lançado no último mês de julho com a publicação de um edital para atender Estados e municípios por meio de convênios com aporte de até R$300 mil. O objetivo do programa é executar ações de enfrentamento à violência contra a juventude. O Estação Juventude funcionará em espaços públicos existentes em Estados e municípios.

“É muito importante se atentar para o fato que a juventude não está ligada apenas ao futuro, mas principalmente ao presente. A juventude produz, se movimenta, tem demandas e ela está vulnerável também. Precisamos prestar atenção aos nossos jovens”, ressaltou a representante da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), Cíntia Soares.